Eram os adolescentes astronautas?

 

www.charquinho.weblog.com.pt

 

Sabe aquele livro, “Eram os Deuses Astronautas”, o qual cogita a hipótese que as divindades das grandes civilizações antigas foram, na verdade, astronautas alienígenas que vieram à Terra trazendo consigo um vasto conhecimento?

 

Não sei sinceramente se os Deuses eram astronautas, mas tenho certeza que os adolescentes são alienígenas. Sim, quem convive com adolescente vai concordar comigo.

 

Parto do pressuposto de que existe o interesse de algum planeta perdido nesse enorme universo em aprender os costumes dos terráqueos. Seria uma espécie de intercâmbio para aprendizagem intergaláctica. Não me pergunte o porquê, pois responderia como o Chicó, do Ariano Suassuna: “só sei que é assim”.

 

É assim mesmo, no limiar dos 12 anos terrestres, os alienígenas começam a se apoderar de nossas crianças, porque, vejam só, é a fase de transição entre a infância e a fase adulta. E todo mundo sabe, a história comprova isso, que a transição é sempre um momento conturbado. Psicologicamente já esperamos que a passagem não se dará como um mar de rosas. E eles, os alienígenas, se aproveitam dessa nossa predisposição e se incorporam em nossos eternos bebezinhos, transformando-os nesses seres, que só podem ser de outro planeta.

 

A linha que separa as emoções desses seres é muito tênue. O amor se transforma rapidamente em ódio, a tristeza em alegria, a esperança em desespero e assim vai. Parece que tudo tem que ser feito neste exato momento, pois na concepção deles o tempo é fugaz. Se pararmos para analisar, o tempo é realmente fugaz para o alienígena que está ali, no corpo do adolescente. Ele tem apenas uma fase aqui na Terra e por isso se tornam intrépidos. Veja que os nossos adolescentes gostam de curtir altas emoções. É só prestar atenção aos parques de diversões. Os brinquedos mais disputados são os mais radicais.

 

Acredito que esses alienígenas, não são tão perfeitos quanto pensam que são. Eles sofrem de algum problema auditivo. Já notaram que os jovens só conseguem ouvir músicas na altura máxima? Bem, nem sempre pode se dizer que o que eles escutam pode ser definido como música, mas não importa, tem que ser no volume máximo.

 

Outra característica que serve para corroborar que os adolescentes são de outro planeta, é a linguagem que eles utilizam para se comunicar. Nós, pobres terráqueos, não entendemos o que eles dizem, mas quando um adolescente se encontra com outro adolescente, a conversa flui maravilhosamente bem. Claro, amigos, eles são do mesmo planeta e falam a mesma língua. Isso é tão OBV (óbvio, para quem não sabe)!

 

Se sua filha passa horas no telefone com aquela amiga que acabou de estar na escola, não se desespere com isso. Elas estão trocando impressões terrestres. Relaxe e pense que o alienígena vai sair do corpo da sua filha quando ela tiver 18 anos. É uma esperança. E esperança é a última que morre.

 

Os médicos podem dizer que são os hormônios. Eu digo: são os adolescentes astronautas (alienígenas).

 

O pior, caro leitor, é que às vezes esses seres intergaláticos insistem em ficar com o comportamento adolescente para sempre, mas isso já é uma outra história...

___________________________________

Andei sumida, mas estou voltando aos pouquinhos.

Este texto que eu escrevi nasceu de uma conversa com uma amiga minha, quando falávamos dos nossos filhos.

Sei que já fui adolescente um dia e me lembro que tudo foi tranqüilo para mim. Isso eu penso, mas nunca tive coragem de perguntar a minha mãe... risos

O alienígena que viveu em mim, graças a Deus foi embora. Então por que remoer o passado, não é mesmo? Mãe, você é uma SANTA!!! Obrigada por ter me agüentado naquela fase.

Agradeço aos navegantes blogueiros e amigos que me mandaram vários e-mails me dando apoio e me incentivando a voltar. Estou aqui e vamos ver no que vai dar.

Brigadão, galera!

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
Meu Perfil
BRASIL , Nordeste , SALVADOR , PITUBA , Mulher , de 26 a 35 anos , Portuguese , English , Livros , Arte e cultura , Viver a vida

 
Visitante número: